A Unifique terá a maior usina particular de energia fotovoltaica de Santa Catarina

A energia solar tem conquistado cada vez mais espaço no Brasil – 7º país que mais consome energia no mundo, de acordo com o Banco Mundial. Além de ser uma fonte de energia limpa e renovável, um estudo realizado pela empresa Lazard, revela que a energia solar é a mais barata disponível e tem se tornado mais acessível a cada ano.

Pensando nisso, nós da Unifique, operadora de Telecomunicações com sede em Timbó (SC), eleita a melhor operadora banda larga do Brasil pela Anatel, construímos a maior usina particular de energia solar fotovoltaica de Santa Catarina para consumo em nossa operação. Construída em Planalto Alegre (SC), cidade com o melhor índice de insolação no estado, a instalação possui  3.600 painéis, e a título de comparação, teria capacidade de abastecer 1.100 residências por mês (1.224w).

“Depois de 8 meses de construção e um investimento que ultrapassou R$ 4 milhões, teremos suficiência energética em todo o estado. A estimativa é que nossa redução em consumo de energia chegue a 100% de nossa demanda abrangendo todas nossas unidades consumidoras”, revela Luiz Bogo Junior – Setor de Controladoria da Unifique. “É mais um passo importante que damos em prol da sustentabilidade”.

Sobre a Unifique

Com 22 anos de atuação no mercado, temos o foco em serviços de alta performance de tecnologia, dentre eles internet de alta velocidade com fibra óptica e serviços de Data Center. Além de link e nuvem, operamos com TV por assinatura e telefonia fixa, e em breve, lançaremos a operação em telefonia móvel.

Além de sermos eleitos a melhor banda larga fixa do Brasil em 2019, dobramos o crescimento orgânico de ativações e aumentamos o faturamento em 35%. Encerrou o ano com quase mil colaboradores e com uma rede de fibra óptica com mais de 10 mil quilômetros.

Para os próximos dois anos, anunciamos investimentos de R$400 milhões. A aplicação será para a ampliação das redes onde já atuamos (mais de 120 cidades catarinenses e outras três no Paraná) e para a implantação de novas redes Fiber to the Home (FTTH), tecnologia para o fornecimento residencial de TV, internet banda larga e telefonia fixa.

Crédito das imagens e vídeos: Projeto Solar.