Tendência se deve principalmente ao forte crescimento dos provedores regionais de internet

A consultoria Teleco divulgou relatório que prevê para 2020 a supremacia da fibra óptica no mercado brasileiro de banda larga fixa. Nos últimos dois anos, 3,9 milhões de acessos foram adicionados pela fibra, enquanto as redes de acessos de pares metálicos (xDSL) perderam 1,1 milhão de acessos. A fibra permitiu aos provedores oferecer velocidades maiores aos usuários em relação ao xDSL, muito usada por operadoras como Telefônica e Oi. Além disso, provocou queda no preço do megabit, de R$ 21,2 (2010) para R$ 3,5 (2018).

Crescimento da fibra óptica. Fonte: Teleco

O crescimento das redes de fibra óptica tem sido impulsionado pela forte ascensão dos provedores regionais, chamados pela Agência Nacional de Telecomunicações de Provedores de Pequeno Porte. Segundo a Anatel, em 2018, 83% dos novos acessos de internet domiciliar foram feitos por PPPs. No último dia 30, a agência divulgou relatório mostrando crescimento de 31,83% dos provedores regionais (+1,63 milhão de acessos) nos últimos 12 meses.

A Unifique, Telecom de Timbó (SC), vem crescendo acima de 30% ao ano e prepara-se para levar seus serviços para 1 milhão de residências nos próximos cinco anos. A Telecom já cobre 116 municípios do Estado e tem entre seus clientes metade das 100 maiores empresas do Estado. A empresa começou a investir em fibra óptica em 2006. Os 30 quilômetros de rede do início da empresa evoluíram para atuais 8.500 quilômetros, somente em Santa Catarina.

“A fibra óptica permitiu disseminar a banda larga fixa. Santa Catarina foi um dos primeiros estados a ter todas as cidades fibradas. Além disso, a tecnologia nos possibilitou oferecer ao usuário uma experiência muito mais satisfatória do serviço, com velocidades bem maiores”, afirma Jair Francisco, diretor de mercado da Unifique. Na última Pesquisa de Satisfação e Qualidade Percebida da Anatel, a Unifique foi a operadora melhor avaliada em Santa Catarina e a terceira no País.