Onde você está?
Ligar agora
Assine com um de nossos especialistas.

Clique no número de telefone para iniciar uma chamada :)

Clique no botão para copiar o número de telefone :)

Receber ligação
Informe o número e um especialista te liga.
Fale no WhatsApp
Tecle as dúvidas e nosso time responde.

Clique no número da unidade para abrir o aplicativo e iniciar uma conversa por mensagem :)

Clique no número da unidade para iniciar uma conversa no WhatsApp Web.

Encontrar loja
Visite a loja Unifique mais perto de você.

Clique no endereço para abrir o mapa e ver como chegar.

Mentiras sobre o Coronavírus não é legal – 1º de Abril.
01/04/2020 @ 10:38
Hoje é dia das Mentiras, 1º de abril, uma data em que as pessoas decidem descontrair, e fazem algumas brincadeiras, contando umas mentiras pra se divertir. Mas em tempos de Pandemia do Coronavírus, é preciso reforçar o combate a uma outra epidemia que assola o país! A proliferação cada vez maior das Fake News. “Fake News!”. "É fake news”. “Não compartilhe, porque é fake news”. Talvez esta seja a palavra do momento. Está na língua do povo. Mas, afinal, o que significa fake news? Na tradução do inglês para o português é “notícia falsa”. Nada mais, nada menos do que nosso famoso termo “É mentira”! E essas notícias falsas ou mentirosas, como preferir, chegam até nós muito facilmente por meio das redes sociais e de aplicativos de mensagens. É preciso aprender a identificá-las e desmenti-las. Principalmente as que envolvem saúde. Receitas milagrosas contra doenças, informações desencontradas sobre o Sistema Único de Saúde (SUS), a cura de algumas patologias, entre outras notícias fabricadas e criadas com mentiras para nos enganar.

Como identificar as Fake News?

As Fake News são mensagens falsas, geralmente são mentiras com poucos detalhes, um texto vago e genérico, repleto de adjetivos e trechos em maiúsculas, que termina com um acontecimento trágico/dramático e muitos erros de português. Veja outras dicas:
  • Boatos não costumam ter a data de quando o pretenso fato aconteceu. Por isso, eles costumam ter vida longa, já que podem circular eternamente. Há também quem divulgue notícias reais, mas que aconteceram há anos e hoje não fazem mais sentido.
  • Sites como o Boatos.org e o E-Farsas fazem checagem de boatos de forma profissional. Discursos de políticos podem ser conferidos no Aos Fatos e na Agência Lupa. Além de conferir nestas plataformas, veja quais os sites que falam da tal notícia numa busca rápida no Google. E fique atento! Porque se não houver nenhum site jornalístico confiável falando sobre o tema, evite compartilhar a informação.
  • Se você desconfiar da veracidade de alguma foto, procure observá-la bem e reconhecer se houve alguma alteração. Fique atento: a internet está repleta de montagens falsas.
  • Seja forte e não siga aquele recado que vem ao pé de quase todo boato (“Na dúvida, estou compartilhando”). Segure a vontade e não passe a informação adiante.

Fake News sobre o coronavírus

[caption id="attachment_5441" align="alignleft" width="300"] Não compartilhe Fake News. Não compartilhe mentiras[/caption] Desde o início da pandemia surgiram Fake News sobre o coronavírus. Confira abaixo alguns absurdos que foram compartilhados até hoje. E lembre-se, seja responsável, não espalhe fake news, informe-se! Pois o simples fato de querer informar pode estar prejudicando centenas de pessoas. “Vacina contra o Covid-19 foi descoberta” (falso) A grande dificuldade dos cientistas em encontrar uma vacina contra a doença está no fato de que o vírus está em constante mutação. No entanto, tentativas continuam sendo feitas. Um jornal chinês anunciou que o país asiático deu aval a pesquisadores para que iniciem testes de segurança em humanos de uma vacina experimental. Por enquanto, é só mais um teste. “Ao estourar plástico bolha, lembre-se que o ar vem da China” (falso) Um boato que está fazendo sucesso nas correntes de WhatsApp no Brasil é o que diz que o ar do plástico bolha que envolve produtos importados da China pode estar contaminado pelo novo coronavírus. Segundo o Ministério da Saúde, não há qualquer evidência sugerindo a veracidade dessa informação. Isso porque: “Vírus geralmente não sobrevivem muito tempo fora do corpo de outros seres vivos, e o tempo de tráfego destes produtos costuma ser de muitos dias”, lembrou a entidade. “Prender a respiração por 10 segundos indica se a pessoa tem a doença” (falso) Um dos boatos fala sobre uma espécie de teste caseiro, que revelaria se a pessoa foi contaminada pela doença: respirar fundo, prender a respiração por mais de 10 segundos. Se conseguir fazer isso sem tossir, você não está infectado. A questão é séria e fez com que o Ministério da Saúde montasse uma página dedicada ao monitoramento dessas histórias e a checagem dos fatos.

Ministério da Saúde pretende diminuir mentiras sobre o COVID-19

Para combater as Fake News sobre saúde, o Ministério da Saúde, de forma inovadora, está disponibilizando um número de WhatsApp para envio de mensagens da população. Vale destacar que o canal não será um SAC ou tira dúvidas dos usuários, mas um espaço exclusivo para receber informações virais, que serão apuradas pelas áreas técnicas e respondidas oficialmente se são verdade ou mentira. Qualquer cidadão poderá enviar gratuitamente mensagens com imagens ou textos que tenha recebido nas redes sociais para confirmar se a informação procede, antes de continuar compartilhando. O número é (61)99289-4640. Fonte: Ministério da Saúde
COMPARTILHAR
Continue lendo sobre entretenimento.